logo.gif








Oriente Médio
O Oriente Médio já foi dominado por grandes impérios como o persa, o árabe e o otomano. Eles foram responsáveis por criar a cultura e as tradições árabes, como por exemplo a dança do ventre. Essa região é considerada um local de intensa divergência religiosa e política. É marcada por diversos conflitos e tem áreas que são disputadas por diversas potências em busca de localização estratégica e devido à grande reserva de petróleo. Surgiram, nesses países, três religiões: o judaísmo, islamismo e cristianismo.

escrita-árabe.jpgÉ comum os países pertencentes ao Oriente Médio estarem envolvidos em guerras e rebeliões. Os principais conflitos que ocorreram e ocorrem são: conflito entre árabes e israelenses, guerra no Líbano, problemas entre o Irã e o Iraque, Guerra do Afeganistão, Guerra do Iraque, dentre outras.

Economia

Os países pertencentes ao Oriente Médio têm como base econômica a exploração do petróleo, pois essa região mantém a maior reserva mundial dessa fonte de energia. Devido a isso, foi criada, em 1960, a OPEP – Organização dos Países Exportadores de Petróleo. Outra base da economia é a agropecuária, que utiliza pouca tecnologia e mecanização. O problema da agropecuária é o clima das regiões que impede o crescimento e a demanda dessa produção.

A indústria não representa uma parcela significativa da economia do Oriente Médio. Nos países que mais investem na extração de petróleo, há empresas petroquímicas e refinarias. Além disso, existem indústrias no ramo têxtil e alimentício; porém, sem muita expressão.

mesquita-islâmica.jpg Religião

O islamismo foi fundado pelo profeta Maomé, no século VII, na Arábia. Essa religião pode ser encontrada em diversos países, mas o número de seguidores é maior no Oriente Médio e na África. A religião islâmica é monoteísta porque possui apenas um Deus, Alá. Os seguidores do islamismo seguem o Alcorão, o livro sagrado que contém as revelações recebidas por Maomé do anjo Gabriel.

Os muçulmanos, seguidores dessa religião, acreditam que há vida após a morte e em Juízo Final. Para eles, existem três locais sagrados. O primeiro é a cidade de Meca, local onde está situada a pedra negra. O segundo local é a cidade de Medina, onde foi construído por Maomé o primeiro templo (mesquita). A última localidade sagrada é Jerusalém, considerada a cidade onde o profeta foi para o céu ao encontro de Moisés e Jesus no Paraíso.

Nos países pertencentes ao Oriente Médio, há, ainda, milhões de cristãos pertencentes às igrejas árabes (copta ou maronita) e judeus que vivem principalmente em Israel.

Turismo

O Oriente Médio tem muitos lugares que ainda não foram totalmente explorados pelos ocidentais, e, por isso, causa grande curiosidade. Nos últimos anos alguns países têm se esforçado para transformar a região em um centro turístico. O importante é conquistar a confiança dos turistas que têm receio dos diversos conflitos que ocorrem e do fanatismo religioso em alguns países.

Países como Omã e Emirados Árabes Unidos possuem uma boa estrutura para oferecer aos viajantes. Esses dois países se destacam porque têm muito dinheiro proveniente do petróleo e também dos negócios estabelecidos em suas cidades. As mais visitadas são Mascate, Dubai e Abu Dabi. Para quem sai do Brasil, a viagem pode demorar até 20 horas por causa das conexões.

Israel também possui vários locais para a visitação turística. São diversos sítios arqueológicos e cidades históricas. Além disso, há ainda a visitação para localidades naturais como as Colinas de Gola, o Mar Morto, o Mar da Galileia e o Ein Avdat (um cânion). As principais cidades turísticas de Israel são:

-Jerusalém: Cidade sagrada para três religiões e sua parte antiga e considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO;

-Nazaré: Cidade próxima ao Mar da Galileia, que possui uma grande importância religiosa;

-Tel Aviv: É a cidade mais agitada de Israel;

-Acre: Cidade que recebe peregrinações e é considerada Patrimônio pela UNESCO.

especiarias.jpgCulinária

Há milhares de anos, onde atualmente está o Iraque, eram cultivados trigo, cevada, figos e romãs que cresciam ao lado dos animais. O pão nasceu redondo e chato e passou a receber carne e cebola com a chegada dos fenícios ao Líbano. Os persas, que habitavam a região do Irã, foram os responsáveis pela chegada de diversas especiarias e produtos como amêndoas, arroz e frutas secas. Já os líderes pertencentes ao Império Otomano surgiram com o café forte e doce e massas que levavam mel, nozes e amêndoas.

Os alimentos consumidos pelos muçulmanos são estabelecidos com base no que é dito pelo Alcorão. A carne de porco não é consumida, pois esse animal é considerado impuro. Por isso, a maioria desses países consome carne de carneiro. As bebidas alcoólicas também não são ingeridas.

No café da manhã, eles costumam ingerir pão, ovos, frutas frescas, mel, nozes e iogurtes. Durante as refeições, são diversos pratos, servidos em pequenas porções. Depois de comer, os árabes comem doces e bebem café ou chá. Segundo a tradição, a mesa deve ter o dobro de alimentos para satisfazer os visitantes, que são sempre bem-vindos. Ao comer, esses devem comer muito para demonstrar agradecimento pelo convite.